Review carabina CBC Nitro Advanced .177

Mostre o que sua arma tem de bom (e de ruim tb) !

Review carabina CBC Nitro Advanced .177

Mensagempor Andersonymk » 06/10/2018 - 16:53:06

Review Carabina CBC Nitro Advanced Calibre .177

1.Introdução:
2.Site do fabricante:
3.Primeiras impressões:
4.Primeiras impressões atirando:
5.Regulando o POI.
6.Atirando.
7.Velocidade e energia.
8.Atirando em barras de sabão.
9.Desmontando a carabina.
10. Peças com defeito.
11.Refazendo os testes nos alvos.
12.Conclusões.

1.Introdução:
Esta carabina foi ofertada pelo fórum Amas de Ar, para ser usada como arma de empréstimo durante as provas da copa Dematek, que estão sendo realizadas no Clube de Tiro de Teresópolis, RJ.
A primeira etapa foi realizada em janeiro de 2018 e vem ocorrendo mensalmente. Mesmo sendo uma carabina para empréstimo ele foi usada para essa finalidade poucas vezes, já que a maioria dos atiradores leva suas próprias armas.
Ela deve estar com cerca de 300 disparos.
Após a etapa de setembro de 2018 ele veio para fazer este review.
Os primeiros testes foram feitos com a carabina no estando em que chegou. Ou seja: não foi limpa ou relubrificada.
Os testes foram feitos baseados nas provas mais comuns em que ela possa ser utilizada, papel a 10 metros com alvos de pistola ISSF, silhuetas metálicas em escala 1/10 e carabina mira aberta a 25 metros.
Para minimizar possíveis erros do atirador, os disparos foram feitos com a arma apoiada em sandbag na posição de USBR mola e usada luneta 6-24x50 com mount único de três pontos de fixação.

2.Site do fabricante:
https://www.cbc.com.br/produtos/carabina-de-pressao-45mm-nitro-advanced-coronha-polipropileno-thumbhole-preta/

3.Primeiras impressões:
A carabina tem um visual bem moderno, com um muzzle brake e sistema de túnel de mira com designer futurista. A coronha de polímero do tipo vazada passa uma impressão de fragilidade, pois possui um “buraco bem grande” onde a mão do pistol grip se encaixa, porém a impressão de fragilidade fica só no visual.
Imagem
Imagem
Imagem

Detalhe do cano e do muzzle brake:
Imagem
Detalhes da coronha vazada:
Imagem
Olhando mais atentamente, pode-se notar que o cano é recoberto com polímero, que também forma o conjunto do bloco que liga o cano à câmara de compressão, abriga o trinco de fechamento do cano e a ponta da alavanca de armar. O polímero é texturizado e nota-se na parte inferior a marca do molde de injeção com algumas rebarbas pequenas.
Detalhes da injeção do cano e muzzle brake:
Imagem
A oxidação da câmara de compressão é de qualidade mediana e exige bastante cuidado para não enferrujar. Porém não há manchas ou falhas.

As gravações de número de série, calibre, modelo e série domodelo são feitos sobre a oxidação e à laser. Portanto, em um possível processo de oxidação, essas informações serão perdidas no processo de limpeza das peças.
Detalhe do número de série e calibre:
Imagem
Detalhe sobre o modelo:
Imagem
Detalhe sobre a série:
Imagem
O sistema de pontaria é composto por miras abertas montadas sobre o cano.
A massa, montada sobre o muzzle brake tem túnel de proteção em metal, com janelas de abertura para maior entrada de luz. O túnel de proteção pode ser removido, bem como o insert de fibra óptica.
Detalhe da massa de mira montada sobre o muzzle brake:
Imagem
Apesar de ter algumas ranhuras e passar a impressão de ser um air striper o muzzle brake não é furado para permitir a saída do ar.
Imagem
Detalhes do túnel de proteção da massa de mira, feito em metal e oxidado.
Imagem
Imagem
Detalhe da massa de mira sem o túnel de proteção. O insert de fibra pode ser removido do muzzle brake, facilitando a troca em caso de dano.
Imagem
Detalhe do encaixe sobre o muzzle brake.
Imagem
Detalhe do insert da massa de mira com fibra óptica na cor vermelha.
Imagem
A alça de mira totalmente em polímero é montada na parte superior do bloco e conta com regulagem vertical e horizontal do POI.
Detalhe da regulagem de deslocamento vertical do POI:
Girando a roda do graduador para a seta sentido “D” o POI desloca-se para baixo. No sentido “U” o POI desloca-se para cima.
Imagem
Detalhe da regulagem de deslocamento horizontal do POI:
Girando a roda do graduador no sentido da seta “L” o POI desloca-se para esquerda e “R” para direita.
Imagem
Como referencial do deslocamento vertical do alça de mira, existe uma “régua” e uma seta para verificação.
Imagem
O muzzle brake além de servir para dar uma melhor pegada na hora de bascular o cano, serve também para proteger a saída em uma eventual batida.
A coroa do cano fica bem protegida a cerca de 10mm de profundidade no muzzle brake.
Imagem
A parte do fuste da coronha tem alguns entalhes para compor o visual futurista da carabina. O local da pegada tem uma textura no polímero que evita escorregões.
Imagem
A parte do fuste da coronha fica ligada à ferragem por dois parafusos na parte lateral, um à direita e outro à esquerda.
Imagem
O guarda mato em polímero é injetado em uma peça única junto com o restante da coronha. Abrigados estão a tecla do gatilho feita em polímero e a tecla da trava de segurança também em polímero.
Imagem
A parte de trás da coronha conta com um sistema de regulagem de altura da almofada e soleira emborrachada com perfurações que auxiliam a minimizar vibrações oriundas do diaparo.
Imagem
A regulagem da almofada é feita afrouxando dois parafusos na lateral direita da coronha. Dois pinos na almofada fazem o curso.
Detalhe dos parafusos de regulagem da almofada. Eles devem ser afrouxados, a almofada deve manualmente ser regulada para cima ou para baixo. Encontrada a posição, os parafusos devem ser reapertados.
Imagem
Na parte inferior do pistol grip existe uma tampa com um parafuso. Inicialmente achei que serviria para acessar o parafuso de ancoragem da ferragem à parte traseira da coronha. Porém,serve apenas como acabamento para fechar um buraco no pistol grip.
Imagem

Parafuso da tampa de acabamento do pistol grip.
Imagem
Detalhe do buraco no pistol grip
Imagem

4.Primeiras impressões atirando:
Ao bascular o cano, nota-se a importância do muzzle brake neste modelo para melhoria na pegada, a mola tem bastante pressão e exige um bom esforço para armar. Na operação é possível notar a uniformidade na resistência durante todo curso, característica das molas à gás. O clique que indica que o embolo está engatilhado também é característico e não deixa aquela falsa impressão de “será que está engatilhado mesmo?”.
A colocação do chumbo é confortável, pois a entrada do cano tem uma leve rebaixo em formato de cone, que abriga perfeitamente a saia do chumbo, sem a necessidade de forçar com a ponta do dedo. Ao voltar o cano para fechar não ocorreu também do chumbo cair.
Detalhe do chumbo JSB exact 8,44 grains 4,52mm na entrada do cano:
Imagem
Detalhe do chumbo RWS R10 match 8,2 grains 4,52mm na entrada do cano.
Imagem
Detalhe do chumbo JSB exact heavy 10,34 grains 4,52mm. Mesmo um chumbo mais longo a saia ficou protegida no rebaixo da entrada do cano.
Imagem
Após abastecer a carabina com o chumbo, vem a operação de disparo. Para tanto é necessário soltar a trava de segurança que é automática e acionada sempre que se bascula a carabina até engatilhar o êmbolo.
Posição travada:
Imagem
Para destravar basta empurrar a tecla da trava para frete com o dedo indicador, em uma operação contraria ao acionamento da tecla do gatilho.
Posição destrava da tecla da trava de segurança.
Imagem
Ao fazer a visada nota-se que o sistema de pontaria é bem “poluído” devido à fibra óptica. Fica uma verdadeira confusão de cores: corpo da alça de mira preto, insert da alça de mira verde, corpo da massa de mira e túnel preto, insert vermelho contra um alvo de centro preto e bordas caqui.
Ao tentar fazer a visada apenas pelo topo negro da massa de mira, alinhado com o topo preto da massa nota-se que proporcionalmente ele fica do mesmo tamanho do centro negro do alvo de pistola ISSF a 10 metros, ou seja: não dá uma visada suficientemente precisa para esse tipo alvo.
Enquadrado o alvo, vem o acionamento do gatilho. Neste momento descobre-se que o curso que vem da fábrica e enorme e o gatilho “tropeça” neste curso do primeiro estágio, pois a mola de retorno da tecla funciona roçando na parte traseira da tecla. Quando a tecla finalmente encontra o segundo estágio ai o dedo começa a por carga na tecla (quando digo por carga, é muita carga) até que sente-se o disparo.
Após o disparo o atirador sequer nota o recuo da carabina, pois a arma da choque no dedo indicador. Isso mesmo choque mecânico!!! As vibrações são tão grandes e se refletem na tecla que esquece-se do recuo da arma para prestar atenção no indicador.
Não sei se é por isso que tem um desenho em baixo relevo de um raio na tecla do gatilho.
Imagem
Realmente a primeira impressão em disparar a carabina não foi nada boa, principalmente pelo fato de estar acostumado a usar uma HW50-S nas provas.

5.Regulando o POI.
A regulagem grosseira do POI foi feita com a arma apoiada em sand bag frontal e traseiro. Foi realizado um disparo a 10 metros e depois clicado para aproximação. A clicagem vertical do POI é precisa e dá para perceber bem os cliques, no graduador existe uma seta com as letras U e D para indicar para qual lado girar. U sobe o POI e D desce o POI. Já na regulagem horizontal do POI não se nota os cliques no graduador, porém existe uma seta no graduador com a letras R e L para indicar deslocamento do POI para direita e esquerda, além disso na parte superior existe uma marcação com traços e uma seta onde se nota o deslocamento.

6.Atirando:
Inicialmente a intenção era realizar os disparos com auxílio de uma luneta 6-24x50 para melhor visualização do alvo e para minimizar possíveis erros na visada.
A luneta que geralmente uso para esses testes já está com um mout único de três pontos de aperto. Após montada sobre a Nitro Advanced, a carabina fixada a carabina em uma morsa, foi realizado um disparo contra um alvo de pistola ISSF a 25 metros, fixado em um papelão. O disparo foi totalmente baixo e à direita. Após 65 cliques para cima e 33 direita o POI foi dentro do alvo. Agora resta o ajuste fino da luneta para iniciar os testes. Sabendo dos níveis de precisão deste tipo de carabina, restou tentar chegar numa média em torno do ponto central do alvo. Porém lá pelo 10º disparo ouvi um barulho de algo caindo no chão. Ao olhar notei um pedaço de plástico preto. Surpresa: era o batente que havia quebrado pressionado pela luneta após recuar mesmo presa por três parafusos.
Imagem
Após o acontecido eu afrouxei os parafusos do mount , retirei a parte do batente que havia ainda sobre a arma. Reposicionei a luneta e reapertei os parafusos do mout, que ficou posicionado a 43,0mm da tampa da culatra. Realizei 10 disparos e verifiquei novamente a medida, que caiu para 40,5mm, Ou seja: a luneta deslocou-se 3,5mm para trás em 10 disparos. Não houve opção senão abortar os testes com a luneta e usar somente as miras abertas.
Antes de iniciar os disparos com a mira aberta verifiquei a aperto dos parafusos de fixação da coronha, que estavam já com folga.
Para os disparos com as miras abertas a arma foi posicionada apoiada em sand bag apenas no fuste próximo ao centro de gravidade na mesma técnica usada para USBR mola. Os disparos foram feitos a 10 metros em alvos de pistola ISSF e a 25 metros com alvos de carabina .22 fogo circular. Nas silhuetas metálicas foram a 9,0 metros para as galinhas, 11,5 metros para os porcos, 14,0 metros para os perus e 16,5 metros para os carneiros.
Para os 10 metros foram usados dois chumbos RWS R10 match de 8,20 grains e o match pistol de 7,56 grains. Ambos em calibre 4,52mm. Para silhuetas metálicas foi usado JSB exact 8,44 grains e nos 25 metros JSB exact 8,44 grains no calibre 4,52mm.
Os testes iniciaram pelos alvos de papel a 10 metros usando 20 disparos (mesma quantidade de disparos usados nas provas reduzidas). Inicialmente seriam 5 disparos em 4 alvos, porém com o agrupamento aberto foi possível fazer 10 disparos por alvo sem muita sobreposição dos POI.
No terceiro disparo do primeiro alvo, mais uma surpresa: desta vez quem saiu voando foi o túnel de proteção da massa de mira. Este túnel tem um batente em metal para encaixar na parte de plástico do muzzle brake, sente-se até um “click” quando se encaixa. Porém com o recuo da carabina o túnel cortou o polímero e passou direto para trás caindo da arma.
Na imagem dá para notar o polímero cortado logo atrás do insert da massa de mira.
Imagem
Finalmente vamos ao resultado dos agrupamentos.
6.1.10 metros apoiado com RWS R10 match 8,20 grains 4,52mm (20 disparos sendo 10 em cada alvo):
Alvo 01:
Imagem
Alvo 02:
Imagem

6.2.10 metros apoiado com Match Pistol 7,56 grains 4,52mm (20 disparos sendo 10 em cada alvo):
Alvo 01:
Imagem

Alvo 02:
Imagem

Comparativo a 10 metros com HW50S, mesmo chumbo e posição de disparo.
Imagem

6.3.25 metros apoiado com JSB exact 8,44 grains 4,52mm. Este lvo foi usado como ajuste do POI e no centro há um disparo feito com a HW50S
Alvo 01:
Imagem
Alvo 02:
Imagem
Comparativo a 25 metros com HW50S, mesmo chumbo e posição de disparo.
Imagem

6.4.Silhuetas metálicas em escala 1/10 apoiado com chumbo JSB exact 8,44 grains.
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem

7.Velocidade e energia:
Os testes de velocidade não foram extensivos, mas apenas para ter uma noção da velocidade e energia da arma.
Na legenda da tabela está como retentor defeituoso. A explicação está mais abaixo no processo de desmontagem da carabina.
Imagem

8.Atirando em barras de sabão.
Para ter uma noção do impacto da carabina foram feitos disparos com diferentes modelos de chumbo em barras de sabão a uma distância de 50 centímetros.
8.1.Chumbo JSB exact RS 7,33 grains.
Imagem
Imagem

8.2.Chumbo JSB exact 8,44 grains.
Imagem
Imagem

8.3.Chumbo JSB exact Heavy 10,34 grains
Imagem
Imagem

8.4.Chumbo RWS R10 match 8,20 grains.
Esqueci de geral esta imagem na empolgação de cortar a barra de sabão. Diâmetro de entrada: 9,7mm
Imagem



8.5.Chumbo Norica Thor
Imagem
Imagem

Para medir o quanto o chumbo penetrou na barra, foi introduzida uma chave Philips no orifício até que ela batesse na parte traseira do chumbo. A medida foi feita da entrada da barra até a ponta da chave e acrescida da medida do chumbo, isso evita uma medida errada pois na hora de usar a chave como guia de corte a faca acaba por esbarrar na lateral do chumbo deslocando de lugar.
Imagem

9.Desmontando a carabina.

O processo de desmontagem visa verificar a quantas andam os componentes internos após algum tempo de uso, observar as partes mecânicas e qualidade do acabamentos interno.

Desmontando a almofada da coronha que possui regulagem de altura:
Remover os dois parafusos de fixação/regulagem da almofada com chave de fenda.
Imagem
Detalhes e medidas dos parafusos de fixação:
Imagem
Imagem
Retirada da almofada:
Imagem
Furação para encaixe da almofada à parte traseira da coronha.
Imagem

Retirada da alça de mira para evitar possíveis danos no restante do processo de desmontagem da carabina.
Remover a roda do graduador vertical do POI.
Imagem
Roda do graduador removida:
Imagem
Levantar o corpo da alça de mira, tomando o cuidado de não deixar a mola de tensão saltar.
Imagem
Retirada do pino que segura o corpo de alça de mira ao boco do cano. Observar que existe um lado certo para esse pino ser retirado, pois um dos lados tem diâmetro ligeiramente maior e possui uma estria.
Imagem
Detalhe do pino:
Imagem
Detalhe do corpo de alça de mira fora do lugar:
Imagem
Imagem
Removida a alça, agora é remover o túnel de proteção da massa, bastando pressioná-lo no sentido para frente, pois ele fica encaixado sob pressão.
Imagem
Após a retirada do túnel de proteção, retirar o insert da massa de mira, basta desloca-lo para a direita, pois também fica encaixada sob pressão. Ao forçar para desencaixar, observar que a pressão deve ser feita na base do insert e não na parte próximo à fibra óptica, pois haverá quebra da peça.
Imagem
Retirado o sistema de pontaria, agora é separar a ferragem da coronha. Para tanto é necessário retirar os dois parafusos que seguram o fuste da coronha à parte dianteira da ferragem. Há um parafuso de cada lado.
Imagem
Detalhes do parafuso.
Imagem
Entre os parafusos do fuste e a coronha existe uma arruela travante, tomar cuidado para não perder durante a desmontagem.
Imagem
Retirada do parafuso que segura a aperte traseira da coronha à ferragem. Este parafuso também segura o batente da luneta e faz o acabamento da culatra com a coronha.
Imagem


Detalhe do parafuso:
Imagem
Após a retirada dos parafusos, virar a carabina de ponta cabeça (ferragem para baixo e coronha para cima) e separar as duas partes. Fazer esta operação com cuidado, pois é comum a queda de peças.
Com isso a parte inferior da ferragem fica exposta. Nesta etapa remover o rolete anti-raspagem e o pino que evita que a articulação do braço abra no processo de armar.
Imagem
Para desmontar, basta escorregar o pino para um dos lados conforme a imagem abaixo:
Imagem
Detalhe do pino:
Imagem
Detalhe do rolete anti-raspagem.
Imagem
Imagem
Este modelo de carabina tem o braço de armar articulado. Essa solução evita que haja uma abertura por quase toda extensão da coronha na parte de baixo do fuste, porém a resultante de forças faz com que a alavanca de distancie do corpo da câmara de compressão. Para evitar isso os fabricantes normalmente usam uma anilha em forma de “U” invertido que mantem a alavanca perpendicular à câmara. A solução encontarad nesta carabina foi deixar duas pontas nas laterais do rolete que se apois na parte interna da coronha. Solução estranha, já que há um desgaste na coronha que futuramente pode precisar de uma troca.
Imagem
Retirada do braço de armar. O braço de armar fica ligado a caixa de gatilho por uma peça que aciona o sistema de segurança para evitar que a tecla do gatilho possa ser acionada com o cano basculhado. Há duas possibilidades de desmontagem. Uma é retirar o pino na caixa de gatilho, que também serve como pino do eixo de giro do desconector que possui uma mola. A outra e remover o pino que segura o braço ao bloco. Optei pela segunda opção por não interferir nesta etapa da desmontagem no sistema de gatilho.
Para proceder a desmontagem é necessário remover uma trava elástica com cuidado para que não salte ou quebre. Observar para não abrir em demasiado essa trava.
Imagem
Sistema da alavanca de armar, trava de segurança e caixa de gatilho:
Imagem
Lado oposto:Notar que a peça onde está o número 4 possui um corte em ângulo, pois é esta peça quem aciona a trava de segurança da tecla do gatilho.
Imagem
Detalhe da trava automática de segurança na posição destravada. Notar que o pino (1) que faz parte da tecla pode passar pelo entalhe da trava de segurança (2).
Imagem
Trava de segurança na posição de acionada. O pino (1) fica mcânicamente bloquedo pela trava de segurança (2).
Imagem
A caixa de gatilho forma um conjunto com a culatra que mantem pressionada a mola à gás. Para retirada segura desta parte é obrigatório o uso de um compressor de mola.
Detalhe dos pinos removidos:
Imagem
Com os pinos fora do lugar, basta aliviar a tensão da mola à gás com uso do compressor de mola. Com isso a culatra vai sendo empurrada para trás até toda tensão da mola cesar.
Imagem
Detalhe da culatra, que abriga a caixa de gatilho e centraliza a mola à gás.
Imagem
Alojamento da parte traseira da mola à gás.
Imagem
Retirada a culatra, basta inclinar um pouco a ferragem e a mola à gás vai sair da parte interna da câmara de compressão. Tomar cuidado para ela não cair ao virar. A carabina vem montada de fábrica com a haste da mola voltada para frente. Não é possível com as peças originais montar a mola ao contrário, pois o centralizador deixará de funcionar corretamente.
Detalhes da mola à gás: No site da Dispropil consta como 60Kg
Imagem

Imagem

Imagem




Detalhe da parte frontal da câmara de compressão e do bloco feito em polímero.
Imagem
Detalhe do sistema de trinco do bloco. O fechamento em cunha mantem sempre pressão para manter o cano corretamente fechado.
Imagem
O problema de folga acontece do lado oposto, onde o pino fica alojado no bloco. Ao forçar ligeiramente o cano com a arma fechada, nota-se que o cano possui uma folga neste ponto, o que permite um ligeiro deslocamento lateral. Esse deslocamento no caso de sistema de miras abertas não seria tão problemático, já que a massa e alça ficam alinhadas sobre o cano. No caso de usar um sistema de pontaria sobre a câmara de compressão o cano pode fechar em diferentes posições a cada báscula.
Imagem
O vedante da câmara com o cano neste modelo fica alojado na própria câmara.
Imagem
A entrada do cano, onde o chumbo é manualmente posicionado possui um rebaixo em forma de cone para facilitar o posicionamento correto do projétil. O início do raiamento é bem feito.
Imagem
Prossegindo com a desmontagem vem a retirada do êmbolo. Para puxá-lo para trás uso uma chave de fendas que teve sua ponta entortada em formato de “L”.
A primeira coisa que notei foi o retentor do êmbolo danificado. O pedaço faltante corresponde exatamente à posição onde existe um corte na câmara de compressão por onde corre a ponta da haste de armar. Minha suspeita é que este dano tenha ocorrido na montagem desta peça.
Imagem
A segunda observação foi quanto à qualidade da peça usada como êmbolo, que veio com muitos defeitos no metal e bastante áspero.
Imagem
Vista do êmbolo e retentor (aqui o retentor foi girado para “esconder” a parte com defeito).
Imagem
Detalhe da ponta do êmbolo onde existe o encaixe que segura o retentor.
Imagem
Continuando com os detalhes do braço de armar e caixa do gatilho: a imagem abaixo mostra todo conjunto isolado da câmara de compressão.
Imagem
Detalhes da trava de segurança que evita que a carabina possa ser disparada com o cano aberto. Atentar para o fato de que a trava na tecla está quebrada.
Imagem
Parte interna da caixa de gatilho. Local onde o êmbolo fica “engatilhado”
Imagem
A mola de tensão desta peça tem um formato de “V”. Uma das pontas apoia atrás da trava do êmbolo e a outra sobre um dos pinos elástico. Importante atentar para a posição da peça e da mola para proceder a correta remontagem do conjunto.
Imagem
O pino marcado com o número 1 (Eixo do gatilho) abriga também a função de segurar a haste que aciona a trava de segurança para evitar disparo com o cano basculhado. Após a remoção deste pino ambas peças se desprendem da caixa de gatilho. Tomar cuidado para a mola não jogar longe a trava do êmbolo.
Imagem
Detalhe da trava do êmbolo e da sua mola.
Imagem
Retirada da trava do desconector. O parafuso que serve de eixo de giro para a trava do desconector também serve para centrar a mola da tecla do gatilho, como na imagem.
Imagem
Nesta imagem é possível notar o posicionamento da mola da tecla do gatilho e a ponta da trava do desconector (2).
Imagem
Removendo o pino (2) a trava do desconector se solta. Observar que o pino tem lado certo para sair.
Imagem
Trava do desconector após a retirada do pino do eixo de giro.
Imagem
Detalhe de um dos lados da ponta da mola, que se encaixa nas bordas da caixa de gatilho.
Imagem
Para remoção da peça é necessário fazer um giro com a mesma e empurrar para a parte de dentro da caixa de gatilho, com isso a ponta oposta pode ser puxada para fora.
Imagem
Caixa de gatilho sem a trava do desconector.
Imagem
Detalhe da trava do desconector.
Imagem
Desmontagem do transferidor de carga. Esta peça é responsável sensibilidade do gatilho, é nela que o parafuso de ajuste atua deixando a tecla mais leve ou pesada.
Imagem
Este é o parafuso de regulagem da sensibilidade da tecla do gatilho. Ele empurra um dos lados do transferidor de carga, fazendo com que o lado oposto trabalhe mais ou menos encaixado na peça da trava do desconector.
Imagem
Desconector e sua mola.
Imagem
Vista de todas as peças componentes do sistema de gatilho da carabina.
Imagem
Vista explodida das peças do gatilho desta carabina.
Imagem
Detalhe da localização dos parafusos de regulagem de curso de primeiro estágio e de sensibilidade da tecla do gatilho.
Imagem
Retirada do parafuso de regulagem da sensibilidade da tecla do gatilho.
Imagem
Parafuso da regulagem da sensibilidada da tecla do gatilho.
Imagem
Retirada do parafuso de regulagem de curso da tecla do gatilho.
Imagem
Detalhe do parafuso de regulagem do curso da tecla do gatilho.
Imagem

10. Peças com defeito
Como foi observado algumas peças estavam defeituosas e foram substituídas.
A primeira foi o batente da luneta:
Imagem
A segunda foi a mola de tensão da trava que evita disparo com o cano basculhado. Essa não encontrei para substituir. Tentei refazer a volta da ponta, porém quebrou novamente no momento de encaixar no lugar. Parece que houve excesso de tensão.
Imagem
Terceira peça foi a trava na tecla do gatilho que evita que a arma seja disparada com o cano aberto. Há necessidade de ser feita a troca de todo conjunto de tecla e trava. Como não é uma das travas mais essenciais na arma ela pode ser usada mesmo com estas peças defeituosas, tomando-se o cuidado de não acionar o gatilh com o cano basculhado.
Imagem
Quarta peça foi o retentor do êmbolo. Esse foi substituído por um novo.
Retentores do êmbolo. Esquerda o danificado e direita o novo.
Imagem
Retentor novo montado na ponta do êmbolo. É necessário aquecer o retentor na água fervente para poder proceder a instalação.
Imagem

Imagem

Durante a remontagem do embolo na câmara é necessário observar a lubrificação das laterais do retentor com graxa de silicone para evitar excesso de atrito que possa danificá-lo.
Imagem
Após encaixado na entrada da câmara de compressão o embolo deve ser cuidadosamente empurrado para frente, atentando para quando o retentor chegar nos rasgos da caixa de gatilho e da alavanca de armar, como o retentor é ligeiramente maior que o diâmetro da câmara de compressão, uma pequena beirada vai ficar para fora nesses rasgos, com auxílio de uma ferramenta fina, essa beirada deve ser encaixada dentro da câmara antes de forçar o êmbolo para frente.
Imagem

11.Refazendo os testes nos alvos:
Após a remontagem da arma foram realizados cerca de 50 disparos para reduzir o efeito Diesel da remontagem, sendo que do terceiro ao décimo segundo tiro o Diesel foi bem perceptível com a carabina fazendo um estampido próximo ao de uma .22 de fogo circular.
Aparentemente cessado o efeito Diesel, foi hora de dar uma limpeza no cano para tirar resíduos dessa queima indesejada. Foi injetado um pouco de óleo desengripante e passado uma haste com escova de latão. Após passados com auxílio da haste de limpeza pedaços de feltro.
Imagem

Após o cano limpo foram feitos mais 25 disparos para “chumbar” novamente. E depois foram feitos disparos de mira aberta com a arma poiada em sand bag nos alvos de pistola ISSF a 10 metros.

11.1.Chumbo Match pistol 7,56 grains
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

11.2.Chumbo RWS R10 match 8,20 grains
Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Após os testes com alvos aos 10 metros foram realizados disparos nas distâncias das silhuetas metálicas escala 1/10. Carabina apoiada em sand bag miras abertas, com 10 disparos por alvo usando JSB exact heavy 10,34 grains.
11.3.galinha:
Imagem
11.4.Porco
Imagem
11.5.Peru:
Imagem
11.6.Carneiro:
Imagem

Após as silhuetas foram feitos 10 disparos em cada alvo a 25 metros apoiado com chumbo JSB exact 8,44 grains, JSB exact heavy 10,34 grains e Barracuda Match 10,56 grains.
11.7.Alvo 1: Foram feitos dois disparos para ajuste grosseiro do POI (marcados como ajuste) e mais 10 disparos válidos para o agrupamento. Centro a centro de 111,7 mm.
Imagem
11.8.Alvo 2. Foram feitos dois disparos para ajuste grosseiro do POI (marcados como ajuste) e mais 10 disparos válidos para o agrupamento. Centro a centro de 93,0 mm.
Imagem



11.9.Alvo 3. Foram feitos 10 disparos válidos para o agrupamento. Centro a centro de 66,1 mm.
Imagem

Tiros nas silhuetas metálicas 1/10, posição apoiado em sand bag com chumbo JSB exact Heavy 10,34 grains.
11.10.Galinhas: total de 2 entre 5.
Imagem
11.11.Porcos: total de 4 entre 5.
Imagem
11.12.Peru: total de 2 entre 5.
Imagem
11.13.Carneiros: total de 4 entre 5.
Imagem

Após todos os testes nos alvos novamente a arma foi passada pelo cronógrafo. Desta vez com resultados de velocidades bem maiores e já condizentes com os dados de energia fornecidos pala CBC.
Imagem

12.Conclusões:
Pela rápida pesquisa de preços na net em 06.10.2018, encontrei os seguintes preços sem frete:
Venture shop R$ 1.079,91
Mundo da Carabina R$ 978,03
Dispropil R$ 1.181,94
Achei preços bem salgados em relação ao que a carabina me entregou. A precisão é sofrível para quem procurar para usar em competições, embora não descarte haver unidades que possam ser melhores que esta do teste.
O acabamento das partes internas deixa muito a desejar também, basta ver as imagens do êmbolo.
O ponto que pesou mais negativamente foi a fragilidade da carabina que mesmo com poucos disparos apresentou muitas partes defeituosas, como quebra do batente da luneta, quebra da trava anti disparo com cano basculhado, quebra da mola de retorno do sistema de trava anti disparo com o cano basculhado, queda do túnel de proteção da massa de mira e por fim retentor do êmbolo defeituoso, no que parece ter vindo já na montagem da carabina.
Além dos listados chamou a atenção a falta de conforto ao disparar a arma, já que existe um grande retorno de vibração na tecla do gatilho, que chega a incomodar bastante.
Pessoalmente não investiria este valor neste modelo.

Abraços e bons tiros.
Andersonymk
AA Nivel 5
 
Mensagens: 1900
Data de registro: 14/12/2010 - 23:33:26
Localização: Teresópolis, RJ
Agradeceu: 71 vezes
Foi agradecido: 584 vezes

Re: Review carabina CBC Nitro Advanced .177

Mensagempor Antornogueira » 06/10/2018 - 17:04:13

Pra variar, review primoroso ...
RIFA Range Finder Bushnell camuflado Clique Aqui

Nao quer cagar, nao come
Avatar de usuário
Antornogueira
Administrador
 
Mensagens: 4719
Data de registro: 11/08/2008 - 23:27:55
Localização: Rio de Janeiro - RJ
Agradeceu: 55 vezes
Foi agradecido: 232 vezes



  • ANÚNCIOS

Retornar para Reviews

You must be a Registered User to Chat in the Shoutbox
a parte interna da minha quebrou e n acho em lugar algum
fiim
18/10/2018 - 12:29:35
Deve ter fraturado o side do conjunto de gatilho...dificil achar a venda qualquer peça de reposicao delas...soldei no meu caso.
Rui Saiki
17/10/2018 - 18:10:44
boa tarde galera alguem tem o jogo de gatilho da artemis m 22 ou saiba quem tem pra venda grato
fiim
17/10/2018 - 16:16:20
Vc que pratica tiro esportivo venha faser parte de nosso grupo tambem vc e muito importante para nos poder aumentar cada vez mais o esporte Assuntos:tiro esportivo:trocas:vendas:importações de airguns e muito mais. Link do grupo abaixo https://www.facebook.com/groups/457763851389203
fiim
17/10/2018 - 16:12:29
Foi só falar em Bençãos e me chega um produto antecipado, uma Estativa Caldwell NXT para os Atiradores mais exigentes: viewtopic.php?f=3&t=25906
Davi_Ogata
11/10/2018 - 14:34:33
E pedindo a todos os nossos Companheiros as Bênçãos de Nossa Senhora Aparecida, como se diz na música Romaria: "Ilumina nessa mina escura o trem da minha Vida!"
Davi_Ogata
11/10/2018 - 09:49:46
Bom Dia Amigos do site, mais um acessório sempre interessante para auxiliar nos tiros, especialmente os de pistola: viewtopic.php?f=3&t=25903
Davi_Ogata
11/10/2018 - 09:40:55
Vc que pratica tiro esportivo venha faser parte de nosso grupo tambem vc e muito importante para nos poder aumentar cada vez mais o esporte Assuntos:tiro esportivo:trocas:vendas:importações de airguns e muito mais. Link do grupo abaixo https://www.facebook.com/groups/457763851389203
fiim
10/10/2018 - 13:50:55
Olá Amigos, segue o link correto: viewtopic.php?f=3&t=25892
Davi_Ogata
01/10/2018 - 11:11:18
Bom Dia Amigos do site, trago mais um Acessório diferenciado para os Amantes do Tiro Esportivo! Link: viewtopic.php?f=49&t=25891
Davi_Ogata
01/10/2018 - 11:08:05
prezados, boa tarde, como faco para enviar uma mensagem privada?
23jean
19/09/2018 - 12:42:10
Como posso visualizar fotos dela?
ERIVALDO
18/09/2018 - 22:33:47
Qual a especificação da luneta?
ERIVALDO
18/09/2018 - 22:31:31
A saxon vem com o adaptador de recarga, o certificado e a faca que vem junto de fabrica?
ERIVALDO
18/09/2018 - 22:31:11
me manda mensagem no pv
maskote
13/09/2018 - 15:04:04
eu tenho fabiano pires
maskote
13/09/2018 - 15:03:52
Alguem vendendo luneta de visão noturna?
fabiano pires
11/09/2018 - 08:03:56
Cricket a venda ainda amigo
LucasCJ
08/09/2018 - 09:59:34
Crickey a venda ainda amigo
LucasCJ
08/09/2018 - 09:58:51
Boa noite Já vendeu a cricket amigo ?
clayrton
07/09/2018 - 20:33:31
Já vendeu a cricket amigo ?
clayrton
07/09/2018 - 10:23:24
CBC comando
Igor Velame
02/09/2018 - 18:02:41
Bom dia pessoal, vendo Artemis Cp2 viewtopic.php?f=3&t=25865
giovannilemes
30/08/2018 - 09:39:31
Alguém vendendo latão JSB EXACT HEAVY 5,5mm?????
Antonio Maia
28/08/2018 - 15:42:37
Bom Dia Amigos do site! Limpando o estoque, 2 caixas contendo 10 cilindros de CO2 12g da GAMO por apenas R$50! Chamar no whats 11 96910-0491
Davi_Ogata
06/08/2018 - 08:58:52
Vendo saldo de 17 cilindros 12g co2 e 1 tubo de óleo Pellgunoil da Crossman sobra de estoque, tudo por 100,00 reais
João Estevam
30/07/2018 - 15:41:16
Não poderia passar aqui e não deixar um abraço a todos!
Alexandre Bastos
25/07/2018 - 09:18:48
Marcelo Santos sumiu...sõ
Rui Saiki
21/07/2018 - 20:18:46
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK estou longe um tempão e quando entro olha só que lance fraco KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
ferreiracampos
20/07/2018 - 13:02:21
o Nogueira é gay
Marcelo Santos
18/07/2018 - 20:06:48
Galera, estou voltando a atirar. Alguem sabe dizer se a mundilar ainda envia chumbos pro brasil, se compensa e se é taxado? E o Daniel Netby que vendia cilindros de portugal também, alguem sabe se ainda vende?
Thiago Cherulli
18/07/2018 - 18:36:05
meu cel: (21)9880-72129
lhauer
09/07/2018 - 21:11:02
ai galera, baixei os preços
elton
07/07/2018 - 11:40:40
se alguem puder ajudar ou tiver interesse
elton
02/07/2018 - 13:18:46
qualquer interesse manda zap 47 988348803
elton
02/07/2018 - 13:18:14
  Online List:


Quem está online

Usuários vendo este fórum:: Nenhum usuário registrado online